O meu carrinho de compras
O seu carrinho está vazio.
Total
Bairrada

A produção de vinho na região remonta à Época Romana. Mais tarde, D. Afonso Henriques, primeiro Rei de Portugal (século XXII), autorizou a plantação de vinhas na região desde que recebesse um quarto do vinho aqui produzido.

A Bairrada é limitada a Sul pelo rio Mondego, a Norte pelo rio Vouga, a Oeste pelo oceano Atlântico e a Nascente pelas serras do Buçaco e do Caramulo. É isto que faz da Bairrada uma zona geográfica excepcional com um clima único e um terroir especial, onde predominam os terrenos argilo-calcários. É uma região de agricultura predominantemente intensiva, com uma variedade de culturas em pequenas parcelas de terreno, onde a vinha ocupa um lugar de destaque. A qualidade dos seus vinhos justifica a Demarcação da Região em 1979, com a criação das denominações DO Bairrada e IG Beira Atlântico, devidamente aprovadas e certificadas pela Comissão Vitivinícola da Bairrada.

Os solos têm origem em várias épocas geológicas, mas são predominantemente pobres. Estão principalmente divididos entre terrenos argilo-calcários e longas faixas arenosas, constituindo uma grande variedade de tipos de solo, dependendo do elemento que predomina. As videiras são cultivadas principalmente em solos argilosos ou argilo-calcários. Os invernos são longos e frios, os verões quentes, temperados pelos ventos do Nascente e do Nordeste, dominantes nas regiões próximas ao mar. O clima é mediterrâneo-atlântico, com precipitações anuais entre 900 mm e 1.100 mm. A região é maioritariamente plana, com vinhedos raramente situados em altitudes superiores a 120 metros. Dada a sua planura e proximidade com o oceano, goza de um clima temperado com forte influência atlântica, com chuvas frequentes e temperaturas médias amenas. Constituindo uma faixa ao longo da costa com elevada densidade populacional, a propriedade rural divide-se em milhares de pequenas parcelas, uma realidade que tem vindo a alterar-se na última década, em que se vem assistindo ao aparecimento de áreas de produção de maior dimensão.

Os limites oficiais da Bairrada foram estabelecidos em 1867 por António Augusto de Aguiar e em 1887, o governo português fundou uma escola prática de viticultura na Bairrada para incentivar melhores técnicas de cultivo e prevenir doenças da vinha.

O primeiro Director desta escola, o Eng. Tavares da Silva, foi pioneiro na produção de espumantes pelo Método Clássico, em Portugal e na região da Bairrada, no final do século XIX, pois reconheceu que o clima fresco e húmido da região com forte influência marítima era perfeito para a sua produção, pois dá origem a uvas com baixo teor alcoólico mas elevado teor de acidez, factores essenciais na produção de vinhos espumantes de alta qualidade.

A Bairrada tornou-se uma região vinícola DOC para vinhos tintos e brancos em 1979, para vinhos espumantes em 1991 e para aguardentes e vinhos fortificados em 2015.

Hoje em dia a região é maioritariamente conhecida pela produção de tintos de guarda à base da sua casta rainha, a variedade tinta Baga, amplamente comparada à Nebbiolo, e também pelos vinhos espumantes produzidos pelo Método Clássico, de elevado e reconhecido padrão de qualidade.